Rádio Evangelho FM

Leitores Online

domingo, 3 de março de 2013

Entre dois Senhores


“Quando era jovem pensava que o dinheiro fosse à coisa mais importante, hoje tenho certeza.”
Esta frase de Oscar Wilde elucida um pensamento que o meu pai mesmo na sua limitação de conhecimento, um homem iletrado, sempre dizia para todos quantos viviam a sua volta: “No céu é Deus e aqui na terra é o dinheiro”.

O fascínio que o dinheiro tem trazido à humanidade dispensa comentários!
A impressão que fica, é que quase tudo se faz e em nome do dinheiro.

Muitos por tê-lo como a válvula de escape, admira-o de tal maneira, que acaba por se tornar sua presa.

Se tal ‘escravo’, conseguiu acumular algum dinheiro, com enorme dificuldade de dividir, de compartilhar, de ser solidário, de estender sua mão a um ferido, certamente o seu coração já foi visitado pelo deus “ Mamom” .

Se você discorda, responda-me como deixar de ajudar o próximo ferido por causa de algumas cifras? Por que da mais valor a moeda do que um ser humano carente?
Isso me faz lembrar de um rabino da congregação judaica do Brasil, que afirmou em seu livro, “a cabala do dinheiro” que, “o mais longo caminho é o que vai do coração ao bolso”.

Tais amantes da prata, por enfrentar a batalha de enfiar a mão no coração, sem perceber, ele mesmo, torna-se o seu maior inimigo, com isso, desvalorizando-o, tornando-o diminuto a cada dia por ter um coração tão longínquo do que e o mais importante, uma vida!
Por isso, urge que analisemo-nos em face ao dinheiro diante de uma perspectiva psicológica e sociológica, para nos compreendermos melhor.

O dinheiro nos traz temor? Enfureço-me por causa da falta do dinheiro? Amo o dinheiro que até esqueço que há coisas mais importantes do que ele? O que de fato, o dinheiro produz em minha vida?
Orgulho? Frustração? Prazer? Vergonha? Grandes sonhos?

Se queremos nos orgulhar dos recursos que nos são permitidos pelo Eterno em administrá-los e com eles projetamos sonhos que jogue a vergonha, a derrota e as frustrações que nos antigiram por causa do mau uso quanto ao dinheiro, torna-se necessário, destronarmos o deus “ Mamom” do coração. 

Um famoso Advogado certa vez afirmou: “Minha intimidade com Deus foi diluindo dia após dia quando o dinheiro passou a ser uma obsessão em minha vida. Quando valorizarmos mais as pessoas do que as coisas, bens e o dinheiro, estaremos no caminho certo!

Satanás, muito embora só tenha permissão de tocar em qualquer coisa e nas pessoas, se o Altissimo permitir, nunca e bom esquecer que ele e um usurpador, um ladrão, qualquer cochilo ou vacilo, será o bastante para ele começar a aprontar uma parafernália nas finanças de quem abriu a guarda para ele.

Jacó, deu uma de “garoto esperto com 20 anos de praia”, colheu inúmeras torturas, a vergonha por seu sogro descobrindo toda sua farsa, seu irmão nutrindo um ódio terrível por ser tido passado prá trás; porém, teve uma chance de ouro, aproveitando-a, procurando ao irmão Esaú lesado, confessando seus erros e pecados, fazendo de sua vida, um final feliz.

Acã mexeu no dinheiro maldito, vivendo uma vida de “cão”; mesmo confessando depois de um tempo na caverna, pagou um preço alto, sucumbindo com sua família, dando a adeus a esta vida.

Os líderes mascarados e o povo desleal tocaram nos dízimos e nas ofertas santas recebendo duras admoestações e ameaça de maldição, caso continuasse naquela ‘ estrada’. Basta ler Malaquias capítulos 1 e 2, um discurso duro do Senhor para os Sacerdotes, e o capitulo 3, Deus chamando duramente a atenção do seu povo. Li certa vez, "Deus usa o dinheiro para avaliar o nosso caráter".
 
Anualmente vou aos Estados Unidos! Uma das coisas que mais me chama a atenção é o frenesi dos brasileiros que trabalham em três períodos do dia, manhã, tarde e noite, e isso, na sua maioria de segunda a domingo (até o dia para descansar e estar na casa do Pai é arrastado)! Com isso, passa a ser um escravo dominado e subjulgado pelo dinheiro, perdendo o prazer de desfrutar da vida, de estar com a família, por estar enfraquecendo, daqui a pouco doente. O dinheiro conquistado nessa correria louca acaba sendo usado para ser tratado. No final de tudo, o que restou? Nada, simplesmente nada! 

Quem tem sido o Deus dos seus bens e do dinheiro que Deus tem confiado em suas mãos? Jesus afirmou que e impossível ficar entre dois Senhores! (MT. 6.24). Qual será a sua escolha?




Por: Ivonildo Teixeira
Postar um comentário