Rádio Evangelho FM

Leitores Online

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O Som da Trombeta


Pois também se a trombeta der som incerto, quem se preparará para a batalha?” (1 Co 14.8).

O apóstolo Paulo usou a trombeta militar romana como uma metáfora para a batalha espiritual. Josefo, historiador do primeiro século, escreveu que o exército romano não fazia nada que não fosse determinado pelos sinais do toque das trombetas. Ele listou três sons de trombeta específicos, e todos eles podem ser aplicados de maneira espiritual.

A primeira trombeta era sinal de preparação para a partida: “Quando chega o momento de se prepararem para sair do acampamento, a trombeta dá o toque”.[1] Aqueles que crêem na Bíblia deveriam estar prontos para partirem rapidamente para qualquer campo de conflito, como lhes for ordenado, sempre dispostos a travar o bom combate da fé (1 Tm 6.12; 2 Tm 4.7).

A segunda trombeta era o sinal para entrar em formação: “Então, as trombetas soam novamente para dar-lhes a ordem para estarem prontos para a marcha”.[2] Nesse estágio, um crente deve estar totalmente vestido com a armadura de Deus. O Senhor quer guerreiros adestrados, alinhados com outros, que lutarão contra as ciladas do diabo (Ef 6.11).

O som da terceira trombeta era a ordem para marchar: “Depois, as trombetas emitem um som pela terceira vez, significando que eles devem partir”.[3] Alguns sugerem que esta trombate é equivalente à “última trombeta”, citada por Paulo em 1 Coríntios 15, relacionada ao Arrebatamento da Igreja:

Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (vv. 51-52).

Essa trombeta também pode apontar para a decisão pessoal de um crente de se por em marcha para servir a Cristo, ficar de pé diante de todos os desafios do Reino de Deus, e estar disposto a suportar as dificuldades como um bom soldado (2 Tm 2.3).

Josefo também observou que, antes que o exército saísse em marcha, os soldados levantavam bem alto suas mãos direitas e gritavam em uma verdadeira fúria marcial: “Estamos prontos!” Você está?  






Por: Peter Colón - Israel My Glory
Postar um comentário