Rádio Evangelho FM

Leitores Online

domingo, 3 de abril de 2011

Um reino de relacionamentos


Jesus, ao enviar os seus discípulos, os instruiu a pronunciar a chegada do Reino de Deus. Ou seja, era chegado um novo tempo, um tempo de justiça, paz e alegria no Espírito Santo. E hoje, este Reino também é chegado até nós. E para possamos expandir este Reino aqui na Terra, é necessário uma ferramenta essencial, utilizada pelo Mestre Jesus, chamada relacionamentos. Não é toa que Jesus, ao convidar Pedro para segui-lo disse que ele se tornaria um pescador de homens (Mateus 4:19). Enfim, Pedro, através de uma grande rede de relacionamentos, daria inicio à Igreja Primitiva, a Igreja que iria expandir o Reino de Deus para toda a Judéia e até os confins da Terra.

A grande verdade é que construir relacionamentos é algo primordial para a pregação do evangelho. Quando não investimos em relacionamentos, saimos perdendo. Jesus sabia disso e nos deixou grandes exemplos. Podemos dizer, inclusive, que Ele era o mestre dos relacionamentos. Quando esteve entre nós em forma humana, Ele tinha um bom papo, se relacionava com as pessoas com liberdade e ousadia. Vivia no meio do povo e conversava com todos, seja gente de grande intelecto, como Nicodemos, como gente simples, humilde, como uma prostituta, considerada a escória da sociedade daquela época. O seu diálogo com a mulher samaritana nos dá uma grande lição de relacionamento. Através de uma conversa, trouxe salvação para aquela mulher. Pessoas necessitam de bons relacionamentos. Uma boa conversa, um olhar dentro dos olhos de quem está aflito, um ouvido atencioso, uma caminhada juntos, um partilhar de sonhos são capazes de sedimentar uma vida. A sedimentação do Reino de Deus gira em torno de relacionamentos.

Vemos, neste contexto, que as pessoas procuram a igreja para se relacionar, em primeiro lugar, com Deus e, em segundo lugar, para construir relacionamentos com irmãos que professam a mesma fé, enfim, que tenham os mesmos interesses. Por este motivo, não basta somente irmos à igreja, louvarmos a Deus e pronto. É preciso que aprendamos a construir relacionamentos saudáveis. Uma prova disto está na descrição da Igreja Primitiva feita em Atos 2:44, onde é afirmado que os cristãos primitivos “estavam sempre juntos e tinham tudo em comum”. Ou seja, eles mantinham um relacionamento que os tornava mais forte. Eles estavam sempre juntos, ou seja, partilhavam sentimentos, interesses e experiências e isto é muito bom para o Corpo de Cristo. Um outro exemplo que temos são os relacionamentos firmados pelo Apóstolo Paulo, relacionamentos estes que formaram grandes discípulos e homens e mulheres de Deus. Paulo mantinha fortes laços de amizade com seus cooperadores. Quem não se lembra de sua amizade com Priscila e Áquila? Juntos fizeram discípulos e até compartilharam, em dado momento, da mesma profissão e do mesmo teto. Quem não se lembra de sua amizade com o jovem Timóteo? Quem não se lembra, inclusive, de seus atritos com Barnabé, por causa de Marcos. Afinal de contas, relacionamentos envolvem ajustes de diferenças e de opiniões. Irmãos e amigos às vezes se estranham, mas com amor e perdão, tudo se ajusta. Os relacionamentos que Paulo mantinha com os seus discípulos e cooperadores eram tão profuntos que deixavam marcas e muitas saudades por onde ele passava "E levantou-se um grande pranto entre todos e, lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam" (Atos. 20:37).

Que tenhamos consciência de nossa responsabilidade de expandir o Reino de Deus aqui na Terra. Que possamos firmar relacionamentos, fazendo grandes amizades em prol do Reino de Deus. Que possamos fazer de nossos irmãos em Cristo amigos verdadeiros, como Jesus o fez com os seus discípulos, desenvolvendo uma grande rede de relacionamento que nos levará a mantermos um relacionamento eterno com o nosso Pai Celestial, pois só conseguimos nos relacionar plenamente com o Deus invisível quando nos relacionamos efetivamente com os nossos irmãos, a quem vemos constantemente.

“Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer” João 15:15

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Por: Pra. Ioná Loureiro
Postar um comentário