Rádio Evangelho FM

Leitores Online

domingo, 20 de março de 2011

A unção de Natã


Somos aconselhados pelo Senhor a deixar todo embaraço e o pecado que tão de perto nos assedia (Heb. 12:01). De fato, o pecado realmente vive a nos assediar. Diariamente, são colocados diante de nós convites e situações que querem a todo custo no afastar de Deus. E quando não vigiamos, acabamos caindo nas garras do pecado que tão de perto nos assedia.

Davi, o homem segundo o coração de Deus, viveu esta experiência ao se envolver com Batseba. O desejo de ter em seus braços uma linda mulher, fez com que cometesse um grande pecado, a ponto de cometer um terrível homicídio, mandando assinar um homem inocente. Neste sentido, é interessante notar como o pecado muitas vezes cega o ser humano, a ponto de não permitir que enxergue os caminhos tortuosos que está trilhando. Davi se entregou tão profundamente ao erro que perdeu a noção do certo e do errado. Não conseguia enxergar que tudo aquilo que estava fazendo, que possuir a mulher de outro homem, que cometer um assassinato, era algo terrível e totalmente fora da vontade de Deus. O pecado conseguiu apagar a sua visão espiritual, o temor do Senhor que havia em seu coração.

Mas em meio a toda essa cegueira, existiu um homem que conseguiu abrir os seus olhos. Lemos em II Samuel 12 acerca do envio de Natã a Davi. Este homem, através da unção de Deus, expôs uma história a Davi e conseguiu trazer a sua consciência o seu pecado “Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor...” (II Sam. 12:13). Naquele momento, caíram-lhe as escamas dos olhos e Davi e conseguiu compreender a extensão do mau que havia cometido “Contra ti, contra ti somente, pequei, e fiz o que é mau diante dos teus olhos; de sorte que és justificado em falares, e inculpável em julgares” (Salmo 51:4). Ou seja, foi preciso que um homem se levantasse para conduzir Davi à consciência e ao perdão de Deus. Vemos, nos dias de hoje, que o Senhor quer levantar muitos Natãs em nosso meio, ou seja, servos de Deus que estejam dispostos a serem usados pelo Senhor para fazer com que o pecador se arrependa de seus maus caminhos.

Convém salientar, neste sentido, que qualquer um de nós pode errar e andar por caminhos tortuosos como aconteceu com Davi se não nos mantivermos vigilantes. Por este motivo, é importante que servos de Deus como Natã se levantem em nosso meio para nos conduzir a verdade quando preciso, para nos trazer cura. Observamos, neste sentido, que Natã, ao ministrar a vida de Davi, não apontou de imediato os seus erros, não se portou com atitude acusadora. Percebemos que ele lhe contou uma história, levando-o a refletir sobre suas atitudes, aguçando, deste modo, a sua consciência como homem e servo de Deus. É desta forma que precisamos agir quando percebemos que alguém que amamos está trilhando caminhos errados. Ao invés de demonstrarmos uma atitude acusadora, precisamos com sabedoria e unção trazer-lhes a consciência do pecado. Às vezes me ponho a pensar no que seria de Davi se Natã não tivesse tido aquela conversa com ele.

Não podemos nos calar, salienciar quando percebemos que homens e mulheres segundo o coração de Deus estão sendo roubados por Satanás por causa do pecado. Precisamos agir como Natã, lembrando sempre que há esse envio sobre nós “antes exortai-vios uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama hoje, para que nenhum de v[os se endureça pelo engano do pecado” (Heb. 3:13). Peço a Deus que a unção de Natã esteja sobre nós.










Por: Pra. Ioná Loureiro
Postar um comentário