Rádio Evangelho FM

Leitores Online

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Quando Deus diz: “Dá licença?”


Eu creio em milagres!

O que é um milagre senão uma intervenção divina na história humana?

Por isso creio mais ainda. Creio que somos de vez em quando surpreendidos por milagres sem que sequer os percebamos. Nosso dia-a-dia está repleto do cuidado de Deus. Deus está no controle da história e essa é uma das minhas maiores certezas: o universo não é um trem desgovernado... ele caminha sobre os trilhos da soberania divina. Há um Deus amoroso que rege e se relaciona com o mundo que criou. Há um Pai que cuida de seus filhos e, com certeza, quer o melhor para os seus.

Foi o próprio Deus encarnado, Jesus, quem disse isso: “Se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?” (Mateus 7.11)

O problema está exatamente no fato de que a teoria é muito fácil de ser dita, pregada, ensinada, mas longe de ser vivenciada por nós, que tanto gostamos de exaltar ao “Deus soberano”. Nossas palavras e canções acerca da sabedoria e soberania de Deus não condizem, muitas vezes, com a nossa vontade de dominar a nossa própria vida.

Temos uma tendência natural a nos afastarmos de Deus, a declararmos independência de Sua vontade e a trilharmos nossos próprios rumos. Foi assim no Éden, é assim até hoje. E a conseqüência, milênios depois, continua a mesma: morte!

Não só a morte física, mas a morte de sonhos, projetos, vontades. É incrível o quanto deixamos de desfrutar das bênçãos de Deus (paz, alegria, gozo, etc) por estabelecermos a nossa vontade superior à vontade de Deus. Fazemos os nossos planos e nem consultamos a Deus. Alguns ainda, por desencargo de consciência “fazem uma oração” depois de já terem decidido (sem oração) o que fazer. Somos hipócritas... na verdade já tínhamos tomado a decisão e apenas queremos um “carimbo” de Deus nos nossos planos humanos.

Há tempos li um livro que ainda é um best-seller evangélico, “Há Poder em Suas Palavras”, um dos piores e mais venenosos livros que já li e que se intitulam evangélicos. O livro passa longe, muito longe, do que a Bíblia realmente ensina sobre a soberania de Deus. Em certa altura do livro, lembro de ter lido algo que poderíamos chamar de a “teologia do cheque em branco”. Como se Deus nos desse uma folha de cheque assinada em branco e nós colocássemos ali tudo o que quiséssemos e Deus se sentisse obrigado a responder.

O que a Bíblia ensina sobre soberania de Deus e senhorio de Cristo é exatamente o contrário. Somos nós quem “assinamos o cheque em branco” e o entregamos nas mãos de Deus dizendo com isso: “toma, Senhor, a minha vida”. É o que o salmista diz em um dos versos mais conhecidos do saltério: “Entrega o teu caminho AO SENHOR, confia NELE, e o mais ELE FARÁ.” É Ele quem FAZ a obra.

Creio firmemente que em certos momentos Deus intervém e diz: “Dá licença? Daqui em diante EU cuido disso!” E Ele faz isso porque muitas vezes nós somos reticentes em entregar-lhe totalmente o comando de nossas vidas. No fundo (por mais que nossas palavras e nossos cânticos digam outra coisa) achamos que NÓS sabemos melhor do que Deus o que realmente precisamos. Atropelamos a vontade de Deus. O resultado é sempre o mesmo: tragédia!

“O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa vem do Senhor.” (Provérbios 16.1) A Palavra é clara. Como diria um comentarista de arbitragem do futebol brasileiro: “A regra é clara”. E é tão clara que nós não conseguimos entender. Gostamos de complicar as coisas simples. Evangelho é coisa simples: é Cristo sendo Senhor de nossas vidas. É Deus intervindo na história, na nossa história, fazendo de nossa vida um milagre diário. Deus quer dar o melhor a seus filhos, basta que abramos nossos corações e nossa vontade ao seu Senhorio, ao seu comando, à sua soberania.

Deus está no controle! Ele é realmente soberano! Ele, mais do que ninguém, quer intervir em nossas vidas e assumir o trono de nossos corações. Confiemos, pois “ desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de Ti, que trabalha para aquele que nele espera.” (Isaías 64.4)

Nele, que se fez carne e, por sua intervenção, dividiu a história humana em Antes e Depois dEle,










Por: José Barbosa Junior
Postar um comentário