Rádio Evangelho FM

Leitores Online

domingo, 1 de agosto de 2010

Perspectivas para o cristão no mercado


Eu acredito que este tema se torna de relevância para o jovem cristão conhecer, uma vez que ele se encontra em meio a um mundo corrompido, pervertido e posto no maligno (I Jo.5:19). Sendo assim, não seria de estranhar que Satanás, o seu príncipe, se preocupasse em “moldar” as circunstâncias de forma a constranger a todos, em especial aos jovens, mais incautos e inexperientes, a “aderir” ao seu “mundanismo”. Essa adesão leva a “pecha” de MODA. O argumento de que “todo mundo faz” ou “todo mundo pensa”, constrange o jovem a pensar assim também ou a agir dessa mesma maneira. Isso é a moda! No aspecto do trabalho, da carreira, da profissão, as coisas acontecem também assim. Há estereótipos que Satanás cria no mundo e induz as pessoas a aderir a eles. Por exemplo, há profissões que recebem destaque e importância no mundo. Mas para se formar nelas o jovem tem que gastar muito tempo estudando, recebendo uma verdadeira “lavagem cerebral” de conhecimentos materialistas, humanistas e ateus.

Observe, como exemplo, a carreira ambientalista. De mesmo modo a Psicanálise, a Psicologia e a Sociologia. As Ciências Sociais, de certa forma, todas também aqui se encaixam. Há também certos “guetos” da Medicina dominados por “panelinhas” de ateus, que filtram muito os que querem ingressar lá. Os cristãos e os demais que pensam diferente terão imensas dificuldades para vencer a barreira de ingresso nessas áreas. Os “amigos”, aqueles que pensam igual, terão ao contrário, todas as facilidades. Assim, cada vez mais, a panela vai se fortalecer naquela direção, rejeitando os que pensam de modo diverso. Há certas áreas de pesquisas e pós-graduação nas universidades que são assim também.

As revistas científicas NATURE e SCIENTIFIC AMERICAN praticam uma verdadeira lavagem cerebral em favor do evolucionismo e contra Deus. A mesma segregação ocorre em áreas governamentais, como a indigenista e a diplomacia. Para completar o quadro, a mídia faz muita divulgação dessas áreas, como sendo de grande relevância, exaltando as pessoas dessas áreas como entendidas e bem-sucedidas. O jovem que assiste as reportagens sobre essas áreas fica deslumbrado, pensando que aquilo é a coisa mais maravilhosa do mundo e passa a sonhar continuamente com aquela carreira. Mal sabe ele que a coisa não é bem assim, além de haver barreiras imensas a serem transpostas por quem é cristão. O incauto jovem cristão, movido pela propaganda mundanista daquela carreira, vai investir muito em estudo naquela direção, gastar muito tempo, dinheiro e memória, e no final, quando ele ainda assim sobrar no funil da seleção desigual, ficará frustrado, se sentindo derrotado e incapaz.

É bom observar que o mundo passa por uma verdadeira revolução tecnológica, automatizando tudo cada vez mais, pelo uso cada vez maior da informática e usando menos as mãos humanas, o que aumenta continuamente o desemprego no mundo. Sendo assim, cada vez mais as pessoas terão mais dificuldades em arranjar um emprego pela primeira vez. Os concursos também são cada vez mais dirigidos para aquelas direções “dominadas”. Isso acentua o funil e segrega ainda mais as pessoas, privilegiando os “amigos das panelas”. Jesus disse que “os filhos das trevas são mais sábios em sua geração que os filhos da luz”. O jovem cristão, que não pensa como o mundo, não tem os valores do mundo como a sua prioridade maior e além disso, não tem contacto constante com as “panelinhas”, em princípio terá muito maior dificuldade em ingressar naquelas carreiras. Estes aspectos acima devem ser levados em consideração ao se decidir a estudar ou prestar certos concursos, visando não se frustrar. É claro que cremos que, se Deus quer o jovem lá, para ser uma testemunha Sua, Ele dará as condições necessárias.

Mas o caminho será longo e difícil. Nesse caso será para poucos chamados. A maioria deslumbrada, iludida pela propaganda, terá muita facilidade em se frustrar, tornando-se crentes derrotados, o que não é bom. Do ponto de vista de Deus, há profissões que aos olhos humanos não dão status, são humildes e oferecem baixa remuneração. Em geral são profissões que lidam com o público. Mas são profissões que permitem muitas oportunidades para testemunho do Evangelho. São profissões que Deus vê como importantes, pelas oportunidades que oferecem, embora aos olhos humanos não dêem status como outras. Essas sim, deveriam ser desejadas pelos jovens cristãos, que são dirigidos por valores outros, que não fama, salário e status, ao invés daquelas outras valorizadas pelo mundo. Para o cristão, a melhor carreira ou a melhor profissão é aquela que tem a aprovação de Deus e dê oportunidades de testemunho.

Quanto à remuneração, ele tem que ter fé. Deus o sustentará. Essa lhe será a melhor profissão do mundo. Por outro lado, há pessoas formadas nas profissões de maior prestígio aos olhos humanos, que no entanto estão desempregadas e frustradas. Se é o mundo que rege o chamado “mercado de trabalho”, para o cristão é Deus quem garante para os seus o pão de cada dia, além das demais coisas que serão acrescentadas (Mt.6:33). Isto posto, peço a Deus que abra o seu entendimento para compreender e desmistificar o mito do “mercado de trabalho”, como sendo também um instrumento maligno para constranger, derrotar e humilhar os servos de Deus. Portanto, busque a direção de Deus para escolher a sua profissão e tenha cautela quanto ao prestígio que o mundo dá às carreiras e profissões.


Por: Pr.Érico Rodolpho Bussinger
Postar um comentário