Rádio Evangelho FM

Leitores Online

domingo, 29 de agosto de 2010

Fé, um atributo da alma


O plano de DEUS na criação foi o de dar ao homem a capacidade de conhecer o seu Criador, bem como o de ser capaz de conhecer as realidades espirituais em geral. DEUS criou de tal modo a alma humana que ela pode, por dotes naturais, entender tais coisas. Esse conhecimento provém da alma. A alma age como transmissor para alma consciente. A fé não pode ser destruída, tal como não pode ser destruída a alma. A fé, porém, pode ser ocultada pela mente consciência, devido à perversão do indivíduo - ou podemos negligenciar-lhe o desenvolvimento nas coisas espirituais.

Tão completo pode ser esse bloqueio da fé que nenhum único raio de luz venha a iluminar a mente física, a consciência. Assim, um homem pode chegar a nem mesmo crer na existência de sua própria alma, ou na existência do seu Criador.

Contudo, sem importar-se se cremos ou não na preexistência da alma, a definição da fé, como reconhecimento do mundo superior e como dedicação ao mesmo, é uma definição válida. É precisamente essa definição que aparece no texto acima referido. A fé nos fala sobre o mundo eterno, convencendo-nos de sua realidade; portanto, vivemos segundo a dimensão eterna.

A fé consiste no exercício da alma, em que esta se entrega aos cuidados do Verbo Divino, para que o indivíduo seja transformado segundo a sua imagem. (Rm. 8:29). A fé é um dos atributos da alma, é a atitude geral da alma para com as realidades espirituais; é o conhecimento da alma e sua nova conduta, em face dessas realidades. A fé nos transforma segundo os moldes da maior de todas essas realidades, o próprio CRISTO. A fé é o conhecimento espiritual e íntimo das forças criadoras do universo. Assim como tomamos conhecimento do corpo físico, atavés dos sentidos, assim também podemos tomar conhecimento da alma, mediante a atividade de seus atributos. A fé pode ser negada ou repelida, até deixar de existir dentro da consciência da mente física. E pode ser reconhecida e exercida até o ponto de remover montanhas.

Aquilo que é levado à consciência, através da atividade das forças espirituais, manifestando-a, através da força espiritual do indivíduo, torna-se a essência mesma da fé. Portanto, tem sido dito por muitos que a fé, a fé pura, aceita ou rejeita sem base da razão, ou além da perspicácia e escopo daquilo que é percebido - daquilo que o homem traz em sua atividade através - pelos cinco sentidos.

A fé é substância das coisas esperadas, a prova das coisas invisíveis. A fé sabe que já recebeu e age segundo isso, de nada duvidando. É a construtora do aparentemente impossível. É aquilo que trouxe à manifestação tudo quanto já existiu.

DEUS é, a fé é.

É a evidência do cumprimento da promessa de DEUS. O divino privilégio do homem é aceitar, usar, desenvolver desfrutar os frutos da fé.

Mo mundo material, com freqüência confundimos confiança com fé. Inclinamo-nos por depender de nossos sentidos físicos, esquecidos que são ilusórios. Isso não é fé, mas confiança - pois a confiança vem atavés dos sentidos físicos. Quando surgem as provas e os desastres, que aparecem fora de nosso controle começamos a afundar e imediatamente, em desamparo e aflição, chamamos:

"SENHOR, AJUDA-ME QUE PEREÇO"!. E é então que fala a voz:
"HOMEM DE POUCA FÉ". (Luc. 12:28).

Examinemos a nós mesmos para ver se estamos nos apegando a fé ou à confiança. A fé se desenvolve mediante o uso. Não pode ser ensinada ou forçada, e nem pode ser destruída a verdadeira fé. Mdiante o exercício da fé, somos capazes de dar luz a outros. Que haja em nós a mesma mente de JESUS, o CRISTO; então haverá fé suficiente para cada necessidade, até mesmo aquela fé que remove montanhas, que modifica o destino das nações, sim, e que traz mundos à existência. Cremos nisso? Então, como pode isso ser realizado? Abrindo nossos corações, na meditação sobre as forças invisívis que circundam o trono da graça, da beleza do poder, e, ao mesmo tempo, lançando ao nosso redor a proteção achada no pensamento de CRISTO; assim se pode realizar isso.

Acrescentemos à nossa fé as obras que mostram os atributos que são expressões do Espírito de CRISTO no mundo. Assim se desenvolverá a nossa fé, tornando-se para nós a prova de coisas invisíveis. Precisamos mostrar, por nossas ações, em nossas vidas diárias, que cremos, que temos fé, e que sabemos que se usarmos a fé que possuímos, mais fé nos serã dada.

Somente no coração liberto de amor egoísta é que pode aninhar-se a fé que sustentará ao cristão em todas as condições da vida. Quando a fé nos habita no íntimo, temos verdadeira liberdade e a certeza de que não temos outro senhor além de JESUS, o CRISTO, e que somos protegidos pelo braço forte do Pai. O sentimento de segurança, de proteção e de paz que ulrapassa todo o entendimento não pode ser encontrado noutro lugar. A fé é a promessa enviada de antemão para mostrar que tudo quando pedirmos teremos.


"DE FATO, SEM FÉ É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS, PORQUANTO É NECESSÁRIO QUE AQUELE QUE SE APROXIMA DE DEUS CREIA QUE ELE EXISTE E QUE SE TORNA GALADOADOR DOS QUE O BUSCAM".(Hebreus 11:6).


Por: Wilson de Oliveira Carvalho
Postar um comentário