Rádio Evangelho FM

Leitores Online

sábado, 31 de julho de 2010

Semeando amor pela vida


Gal. 6: 7-10 - Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé. À luz da Palavra de Deus, eu gostaria de chamar-lhes a atenção sobre a família, instituição criada e amada pôr Deus, mas que infelizmente a história tem registrado a sua: desmantelação, decadência moral e ética, fato este que vem acontecendo gradativamente ao longo dos séculos.

De geração em geração, a família tem perdido a sua essência, os seus reais valores neste mundo. Quando abrimos as páginas da Bíblia, com temor e tremor no coração, podemos perceber que Deus, através do seu amor e de sua grande misericórdia sempre esteve e está e sempre estará presente, procurando preserva-la, restaura-la, revigora-la, fortalece-la, mesmo a mercê dos seus devaneios, das suas variáveis, de suas escolhas muitas vezes contrárias à sua vontade. O modelo de família que sempre esteve no coração de Deus, não tem mudado, desde da sua criação; digo na sua base, na sua fundamentação, pois Deus a fez perfeita, indestrutível, forte, saudável, majestosa, porque, faz parte da natureza de Deus, da personalidade de Deus, do caráter de Deus deixa-la livre, desimpedida, podendo tomar pôr si todas as decisões.

Em outras palavras, Deus deu ao homem e a mulher o livre arbítrio, a livre vontade. Foi dado a eles, uma vez unidos pela carne e coração, desde do Éden, a capacidade de manter a família inexpugnável, bela e duradoura, como também, foi lhes dado nas mãos o direito da decisão de desobedecer, de quebrar princípios que gera vida, de se rebelar, de cooperar com o desmantelamento de sua própria família. Todos nós conhecemos a história de Adão e Eva , que uma vez em rebelião, assinaram a sua sentença de separação da graça, da comunhão com o seu Criador. A Bíblia nos diz que na rebeldia, o pecado, a transgressão da lei de Deus passou a fazer parte do coração, da mente do homem e da mulher, à mercê de grandes personalidades que se levantaram ao longo da história da humanidade, tais como: Noé, Abraão, Isaque, Jacó.

Moisés, Josué, Davi e tantos outros, sabemos contudo que a brecha legal, foi de fato e verdade aberta no passado, quando da desobediência. A partir de então a família passou a conviver com todos os tipos de sentimentos, seja sentimentos de afeto, carinho, respeito, amor, etc., como também passou-se a conhecer e praticar os sentimentos tais como: O de tristeza, amargura, frustração, desagregação, o sentimento da insensibilidade, do desrespeito, da infidelidade, da falta de amor, de perdão e misericórdia, etc. A família, com a desobediência do primeiro casal passou a ser bombardeada 24 horas, pôr uma série de fatores, de percalços que a tornaram cada vez mais fragilizada, enfraquecida e principalmente desassociada dos reais e autênticos valores de Deus. Na realidade, o pecado começou a tomar formas variadas e nocivas. Hostes malignas foram liberadas diretamente do inferno para influenciar e causar a instabilidade da família.

O homem e a mulher a partir de então desenfreou-se nos seus ardentes desejos carnais o que a Bíblia no diz no livro de Romanos 1: 20-32, confira na sua: “Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém. Pelo que Deus os entregou a paixões infames.

Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro. E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm; estando cheios de toda a injustiça, malícia, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, dolo, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pais; néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, sem misericórdia; os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam.” A boa notícia que eu tenho para informa-lhes, é que a Bíblia nos diz que felizmente onde abundou o pecado, superabundou a Graça

Veja o que o capitulo 5:12-15,20,21 do livro de Romanos, onde lemos o seguinte: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram. Porque antes da lei já estava o pecado no mundo, mas onde não há lei o pecado não é levado em conta. No entanto a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão o qual é figura daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, abundou para com muitos. Sobreveio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; para que, assim como o pecado veio a reinar na morte, assim também viesse a reinar a graça pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor.”

No mesmo livro de Romanos, no capítulo 6: 12-14 também lemos: “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado como instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como redivivos dentre os mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.” O texto inicial que lemos na carta do apóstolo Paulo aos Gálatas 6: 7,8 nesta noite é enfático quando diz: “Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.” A salvação pôr intermédio do Filho de Deus, Jesus Cristo chegou através de sua morte e ressurreição a todas as famílias, de todas as épocas.

Agora, aqueles que são de Cristo Jesus, não precisam mais ficar debaixo de condenação, porque segundo a Palavra de Deus. “Nenhuma condenação há, para aqueles que estão em Cristo Jesus” (Rm.8:1) A Bíblia nos diz no Evangelho de João 3:16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça mas tenha a vida eterna.” Amados irmãos e amigos. Embora o pecado com as suas garras destruidoras tem chegado com toda força nestes últimos tempos através da modernidade, através de um consumismo desenfreado, através da tecnologia avançada, da informática, da ciência, etc., quero dizer-lhes que podemos ser vitoriosos em Cristo Jesus. Jesus é a solução para os enormes problemas familiares que se apresentam no dia a dia.

Quero dizer-lhes nesta oportunidade, que a mercê de todos estes fatores históricos, de todas as possibilidades que militam contrariamente a preservação da família. Quero declarar-lhes nesta noite, em nome do Senhor Jesus Cristo que a família não está em extinção. Ela vai conseguir sobreviver a todo este caos, a toda esta catástrofe que tem se abatido sobre a mesma. Porém é bom que se diga em alto firme som.

SÓ JESUS PODE SALVA-LA. SÓ JESUS PODE CURAR OS SEUS TRAUMAS.

A solução para que a família se erga das cinzas é somente através da pessoa de Jesus Cristo. Deus está no controle, seu caráter é imutável e fiel as suas promessas. E com certeza o paraíso ainda esta a espera dos filhos desobedientes e rebeldes que um dia deixaram a casa paterna para viverem longe de sua presença. Jesus é único que tem o poder para restaurar. Só ele é capaz de tirar a dor, a mágoa, o ressentimento, o remorso, a falta de paz. Jesus é o único que pode perdoar pecados, sarar o corpo, a alma e o espírito. Só Ele pode ajustar um casamento prestes a se dissolver, prestes a se corromper, a se desmanchar. Jesus é o único que pode consolidar o relacionamento de pais e filhos. Jesus é o único que pode salvar a família e dar-lhe nova esperança e novas perspectivas. Jesus pode, através de sua Graça, de seu amor, curar o coração ferido, magoado, rejeitado, destruído. Jesus é o único que pode fazer da sua vida um paraíso. Jesus é a solução para as crises nos relacionamentos conjugais, para os conflitos intermináveis que tem trazido tanta divisão, tanto egoísmo. A praga do divórcio que tem assolado e destruído tantas famílias pode diminuir, quando Jesus passar a ser a solução na vida do casal.

Precisamos “RESGATAR UM MAIOR NÚMERO POSSÍVEL DE FAMÍLIAS DAS GARRAS DE SATANÁS” e você pode fazer parte desta conquista a partir de agora. Este trabalho de conquistas de almas pra Jesus não pode ter rótulo denominacional. É um trabalho de todo aquele que crê em Jesus e quer viver debaixo de sua vontade.


Por: Pr. Nélson R. Gouvêa
Postar um comentário